Empresários, trabalhadores e grupos de interesse: a política econômica nos governos Jânio Quadros e João Goulart – 1961-1964

Felipe Pereira Loureiro,  Editora Unesp, 597 páginas, R$ 98,00

livro 2As mais de duas décadas de ditadura civil-militar que assolaram o Brasil entre 1964 e 1985 deixaram profundas marcas napolítica, na sociedade e na economia do País. E, ainda hoje, quando se olha pelo retrovisor, muito se tem a dizer sobre os porquês do derretimento da democracia brasileira naquele fatídico 1º de abril. O pesquisador Felipe Pereira Loureiro vai neste caminho ao se debruçar sobre o porquê econômico, neste livro.

A partir de uma análise profunda do período que antecedeu a queda da democracia brasileira, Loureiro se vale, ao longo dos oito capítulos do livro, de inúmeras fontes governamentais, empresariais e trabalhistas, de dentro e fora do Brasil, para rememorar um intrincado cenário. Nele vigoram múltiplos interesses empresariais, de atores das classes sociais domésticas e de grupos estrangeiros, cujas raízes barrariam a capacidade administrativa em conter os desarranjos econômicos do momento. “A grande maioria dos estudiosos concorda que os problemas apresentados pela economia brasileira no início dos anos 1960, em particular a expansão inflacionária, o desequilíbrio do balanço de pagamentos e a desaceleração do ritmo de crescimento, tiveram um papel importante para a desestabilização da República do pós-guerra”, escreve o autor.

Felipe Pereira Loureiro anota que o tema é de enorme relevância para a história do Brasil recente. “Se a compreensão das dinâmicas das administrações Quadros e Goulart já era absolutamente fundamental para refletir sobre a experiência brasileira no pós-guerra e suas consequências”, sublinha, “atualmente esse objeto tornou-se ainda mais urgente, na medida em que é capaz de colocar em perspectiva histórica o difícil momento que atravessamos”.

Sobre o autor

Felipe Pereira Loureiro é professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI-USP), pesquisador do Núcleo de Estudos em Política e Economia Internacional da USP (Nepei-USP), membro do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre Estados Unidos (INCT-INEU) e coordenador do projeto de extensão universitária Historiando. É autor de vários artigos sobre as relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos nos anos 1960. Atualmente desenvolve projeto com apoio Fapesp sobre política externa e relações Brasil-Estados Unidos durante a ditadura militar brasileira.

Apoio