Um Cachorro das Arabias!

Tem cachorro que leva vida de rei, tal o mimo como é tratado. Foi-se o tempo em que dito animal comia restos de comida, dormia em casinha acanhada fora de casa, tomava banho de vez em quando, latia e não podia ver rato e nem gato na sua frente que queria estraçalhar ambos. Sem contar que além de ser fiel ao dono ainda era o guardião da casa.

Acabou este tempo. Hoje em dia o cachorro mora em apartamento, dorme de dia no sofá da sala de visita, e a noite na cama do dono, sem nenhuma cerimônia. Frequenta cabeleireiro, toma banho toda a semana, corta as unhas e faz tosa uma vez por mês. Usa roupinhas para enfrentar o inverno, come ração caríssima, visita regularmente o veterinário, frequenta academia de Pets, ama os gatos e nunca viu um rato na vida.

E quando vê, foge! Sem falar que duas vezes ao dia leva o dono para passear e falar com os donos de outros cães. Só late esporadicamente para não perder o tom. Não fosse castrado diria que é a vida que todo humano sonharia ter. Em suma: é engraçadinho, preenche a solidão dos humanos e vive como todo aposentado gostaria de viver: sem preocupações! Mas, infelizmente, o sol não nasceu para todos.

Eu tenho um amigo, pobre, que tem um cachorro do “vira-lata”, cujo nome de batismo é “Lula”.

Teófilo, o dono do cão, até hoje não sabe por que deu um nome de molusco ao infeliz cachorro.
- Por que não deu o nome de Jerry, Tupi ou Luiz Eduardo, este último é o nome do cachorro da secretária lá de casa? - Perguntei.
- Escolhi sem pensar muito; olhei para o bicho e ele tinha a cara de uma, lula só por isto.
- Ah! E você gosta?
- Gosto, principalmente quando ele está preso...
- Só?
- Não! Quando alguém chega lá em casa e pergunta se o Lula está solto, e eu respondo: “não, pode entrar, o Lula está preso!”’
-?
- Eu me sinto aliviado; pois o Lula estando preso eu sei que ele não vai “aprontar” nadinha, por aí!
- Então ele deve ser terrível?
- E como. Quando ele não está preso ele é o maior ladrão do país...
- Do que?
- De ossos é claro.
- E ele é manso?
- Ele é “dedo-duro”, sempre late quando alguém se aproxima da cerca do quintal; é dissimulado, pois gosta de morder quando a pessoa menos espera; mas é um bom vivant, pois só gosta de mordomia e detesta trabalhar...
- Puxa, que cachorro parecido com alguém que conheço e também está preso. - conclui. 
- O Lula, meu cachorro, tem uma grande virtude.
- Qual? - eu quis logo saber.
- Ele gosta de ficar preso!
- E como você sabe?
- Porque ele está fazendo regime, só bebe água que passarinho gosta,  dorme o dia todo e faz o que mais gosta: nada!

Cachorrinho esperto pensei comigo mesmo, depois de me despedir do Teófilo. Nem reparei que o Sezinando tinha se aproximado e foi ele que interrompeu minhas elucubrações:
- Oi, amigo, tudo bem? -perguntou.
- Sim, tudo bem...
- O Teófilo estava falando do Lula?
- Estava...
- Ele é psico, pois só fala nesse maldito cão!
- Não entendi...
- Ele mordeu minha perna, quando entrei na casa dele.
-  O Teófilo estava presente?
- Foi ele que me convidou para entrar.
- Putz, cão sacana, hein? 
- Espero que ele fique preso, mais de trinta anos para nunca mais morder ninguém...
- Amém ! - concordei. Pois não gosto de cachorro sem educação, raivoso e principalmente, por se chamar Lula!

“Cachorro hoje em dia tem status de estadista. Não late, não decide coisa nenhuma e faz cocô por toda a parte. Gosta de mordomia, principalmente quando está preso. Enfim, ama o que sempre faz na vida: nada!”
Edson Vidal Pinto

Apoio